Páginas

29 de out de 2012

Impulsos...






Pensar é fácil. Agir é difícil. 
Agir conforme o que pensamos, isso ainda o é mais. 
(Johann Goethe)


Há algumas semanas que não escrevo. E hoje tive o mesmo impulso, pois estava pensando que seria melhor permanecer calado, a escrever qualquer besteira.

Mas, ao analisar essa atitude minha, percebi que posso escrever sobre ela própria, pois em todos os momentos devemos pensar antes de seguirmos nossos impulsos, e acabarmos “metendo os pés pelas mãos”...

Talvez seja difícil muitas vezes segurarmos nossos impulsos, pois temos facilidade de acharmos que tudo o que fizermos sempre dará certo, e, muitas vezes, ao não atingirmos os objetivos que pretendíamos, não reconhecemos que o ponto principal que deveria ter sido corrigido antes de agirmos fosse nós mesmos, a acabamos culpando outras coisas ou outras pessoas que na verdade só participaram da nossa busca.

Assim, acredito que ao pensarmos antes de agir, ao refletirmos se realmente aquilo vale a pena, possamos desenvolver um plano mais elaborado e com mais chances de sucesso em tudo o que buscarmos em nossas vidas...

Além do que acredito que se formos construindo algo tijolo a tijolo, dia a dia, a chance de tal construção ruir será muito menor do que quando queremos a realizá-la “do dia para a noite”.

Seja no trabalho, seja num relacionamento, seja onde for, pequenos gestos, atitudes, pensamentos repetidos, momentos a momentos, podem fazer muito melhores efeitos e soarem como mais verdadeiros do que agirmos por impulso, pois muitas vezes poderão soarem como falsos, ou, serem momentâneos...

Assim, espero daqui em diante desenvolver esse gesto simples, de pensar, sem esquecer-se de realizá-lo, como ocorria em determinadas situações, e como percebo que em outras situações, outras pessoas também o esquecem, e, no meu caso, se conseguir segurar o desejo de alcançar meus objetivos rapidamente, acredito que apesar do futuro a nós não nos pertencer, agindo com lucidez e sinceridade, talvez esteja mais preparado para as surpresas que esse me trará.

Concluindo, consegui segurar o impulso de não escrever também essa semana, transformando-o num impulso de expressar esse meu pensamento...

Abs.,

Glauco.


Grandes coisas não se fazem por impulso, 
mas pela junção de uma série de pequenas coisas. 
(Vincent van Gogh)



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...