Páginas

18 de nov de 2010

Prêmio Ignobel




Como já escrevi, o Prêmio IgNobel se caracteriza por ser uma sátira do prêmio Nobel, e é dado a cada outono para as descobertas científicas mais estranhas do ano. Os prêmios são entregues para honrar estudos e experiências que primeiro fazem as pessoas rir, e depois pensar. Foram criados pela revista de humor científico Annals of Improbable Research (Anais da Pesquisa Improvável), e os prêmios são entregues em Harvard.

A ideia é premiar pesquisas raras, honrar a imaginação, e atrair o interesse público para a ciência, a medicina e a tecnologia, e os prêmios foram entregues pela primeira vez em Harvard em 1991.

Tentarei trazer no "blog" as melhores pesquisas realizadas a cada ano, na minha opinião, e como já trouxe os prêmios dos anos de 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002 e 2003, segue agora os melhores de 2004:

1) Prêmio de Medicina - Steven Stack da Wayne State University, Detroit, Michigan, e James Gundlach da Auburn University, Auburn, Alabama, pela pesquisa "The Effect of Country Music on Suicide" ("O Efeito Da Música Country No Suicídio")

2) Prêmio de Física - Ramesh Balasubramaniam da University of Ottawa, Michael Turvey da University of Connecticut e Haskins Laboratory, por explorar e explicar a dinâmica do bambolê.

3) Prêmio de Saúde Pública - Jillian Clarke da Chicago High School for Agricultural Sciences, e depois da Howard University, por investigar a validade científica da "regra dos cinco segundos", sobre a segurança de se comer um pedaço de comida que caiu no chão.

4) Prêmio de Engenharia - Donald J. Smith e seu pai,Frank J. Smith, de Orlando, Florida, por patentear o combover (estilo de cabelo para homens carecas).

5) Prêmio de Psicologia - Daniel Simons da University of Illinois at Urbana-Champaign e Christopher Chabris of Harvard University, por demonstrar que quando pessoas se concentram em algo, é fácil não perceber qualquer outra coisa - mesmo uma mulher vestida de gorila.

6) Prêmio de Biologia - Ben Wilson da University of British Columbia, Lawrence Dill da Simon Fraser University, Canada, Robert Batty da Scottish Association for Marine Science, Magnus Whalberg da University of Aarhus, Denmark, and Hakan Westerberg da Sweden's National Board of Fisheries, por demonstrar que arenques aparentemente se comunicam por meio de flatulências.

(informações extraídas do site “WIKIPEDIA” em 18.11.10)

6 comentários:

Principe Encantado disse...

kkkk Cada uma
"estilo de cabelo para homens carecas"

Abraços forte

O magrinho !!! disse...

Boa noite Glauco !!!
Dinâmica do bambolê!??!!
Flatulência?!??!
Isso é motivo de Nobel ?!??!
Então eu deveria ganhar um por dia pelas besteiras que penso...
Ó, mundo injusto !!!
kkkkkkkkkkkkk
Grande abraço !!!!!!!

Deny disse...

"The Effect of Country Music on Suicide" ("O Efeito Da Música Country No Suicídio")

Essa realmente para mim se superou ... mas pra falar a verdade é fico agoniada com músicas countries, mas suicídio acho que não!

=D

Mt interessante teu post, não conhecia este prêmio!

Beth Muniz disse...

Meu Deus!
Quanta bobagem...kakakaka
Glauco, me explique a dinâmica do bambolê. kakaka
Valeu,
Um abraço.

PENTECOSTAL WEB RÁDIO disse...

Estou passando somente para deixar um abraço e desejar um fim de semana abençoado!
um abraço
MARIVAN

Lari disse...

Essa do estudo dos gorilas tem até um vídeo disponível na internet pra você ver se, durante a explicação do estudo, acha a mulher gorila e quantas vezes. Eu vi, é legal, procurem! Hahaha

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...