Páginas

8 de out de 2010

Texto Sério

Boa Tarde mais uma vez !!!

Como já escrevi na apresentação do “Blog”, o “Salve o Bule” surgiu de um jornal virtual que criei, sendo enviado por e-mail para os colegas de empresa.

A idéia principal do jornal era descontrair o dia de trabalho, com notícias de “fundamental” importância para o futuro da humanidade, imagens divertidas, piadinhas “leves”, entre outros temas.

Porém, criei no jornal uma página diferente do restante, onde era publicado um texto sério, para que todos pudessem refletir.

Assim, publicarei hoje um terceiro “TEXTO SÉRIO”, para pensarmos a respeito...

Boa Leitura !!!
Abs.,

Glauco.

 
Viver ou Juntar dinheiro?
 
(Autoria de Max Gehringer)
 
Há determinadas mensagens que, de tão interessante, não precisam nem sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente.
 
Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais.
 
E assim por diante.
 
Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei.
 
Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis.
 
Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro.
 
Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?
 
Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade.
 
Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.
 
"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO"
 
Que tal um cafezinho?

7 comentários:

Dú Pirollo disse...

Meu caro amigo Glauco, boa noite!!!
Hoje tivemos a mesma idéia, postamos mensagens Reflexivas semelhantes, muito bom, uma reforça a outra...
Com certeza, devemos sempre optar pela vida feliz e plena, nada de ficar juntando dinheiro para gastar num futuro que nunca vai chegar, isso é coisa dos avarentos, que acham que a vida é feita de dinheiro e bens materiais, quando descobrirem que isso de nada serve, já será tarde... Estamos aqui para a evolução interior e para aprender a praticar o amor uns para com os outros, isso é vida feliz.
Parabéns pelo excelente texto reflexivo, adorei!!!
Grande abraço e muita paz!!!
Pirollo

vidarealdasam disse...

Olá querido amigo Glauco !!

Belíssimo texto, obrigada por compartilhar !
Concordo plenamente que devemos nos atentar para os momentos que nos fazem felizes e não ficar focado só em juntar bens materiais !
Sim, conforto é bem vindo, mas não a custo de se abrir mão de preciosas oportunidades de aproveitar a vida, sorrir e ser feliz !
Adorei !
Grande abraço pra você e sua linda família !

Mari Costa disse...

Oii Glauco

Nossa esse texto é muito bom mesmo.Acho que nao importa o montante de dinheiro que se juntou e sim varios momentos felizes que se viveu e que podemos contar para nossos netos. Temos que aproveitar o hoje intensamente, pois o que adianta uma boa conta bancaria se voce nao tem nenhum historia feliz para contar.

Bjs no coração

Jackie Freitas disse...

Olá Glauco querido!
Eu também já ouvi muito disso! E também me questionei até onde valeria a pena juntar fortunas e abrir mão de prazeres simples? Então, hoje, posso dizer que não sou rica, com grande somas de dinheiro no banco, mas sou rica em saúde e experiências adquiridas numa vida que fiz e faço questão de viver ao máximo, pois é isso que levamos dela. O que vale é o aprendizado...
Grande beijo e parabéns pela excelente matéria.
Jackie

bernar55 disse...

Olá querido Glauco.
é verdade eu conheço pessoas que juntam a maior
grana mas não tiveram prazer em nada, na vida.
mas as vezes precisamos de um breque se não a
casa cai.

Projeto Força Jovem disse...

Do que adianta ficar juntando dinheiro para gastar dinheiro depois se um dia vamos morrer e vai ficar tudo aí? Odeio Banco!

Leleka e Guedes disse...

Olá Glauco, eu concordo em gênero, número e grau ...
Meu marido e eu somos chamados por alguns amigos de camicases, só para ter uma idéia.
Não gastamos com besteira, mas gostamos de um bom apartamento, um carro confortável e isto para alguns é considerado crime, o melhor mesmo para eles é guardar, sabe-se lá pra que.
Alessandra

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...